Santa Catarina de Alexandria

Albertina Prates sempre com a mesma técnica, acrílico sobre tela, apresenta momentos da sua pintura. Desenvolve uma experiência neo-simbolista de caráter muito especial, que adquire densa materialidade. São sincretismo de mitos gregos, com símbolos açorianos. Sugestões aladas resolvidas com vigoroso tratamento e símbolos relacionados ao mito de Santa Catarina de Alexandria, que resolve com elegância e particular sutileza os temas escolhidos como o sangue do Martírio transformado em leite, o que em sua tela pode ser também um precioso colar de opalas.

 

Jânio V. Weck-Barros

Crítico de arte

 

03d_

 
Compartilhe: