top of page

A Dança



Ouso provocar símiles numa poética de pessoal dramaturgia.


A magia da existência de cada qual, a solidão, a eterna procura do divino me instiga a lembrar que o ser humano não é um único casulo.


Que a dança é uma celebração de Vida, como clamar pela identificação com o imperecível.


Albertina Prates

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page